Contra o fascismo, organização e luta!

No sábado, 20 de agosto, terminou a Feira de Málaga no Estado espanhol e milhares de jovens passaram pelas casas do Sindicato de Estudiantes e da Izquierda Revolucionaria. Nesse mesmo dia às quatro da manhã um grupo de fascistas entrou nas nossas casas organizando uma provocação séria. Os camaradas responderam com firmeza, rodeando-os para evitar a agressão e frustrar os seus planos. Não é a primeira vez que isto acontece, mas são sempre parados pela nossa determinação de lhes fazer frente.

As casas do Sindicato de Estudiantes, Libres y Combativas e Izquierda Revolucionaria voltaram a ser um espaço seguro, livre de machismo, racismo e agressão contra a comunidade LGBTI. São fruto de anos de trabalho político árduo em defesa das escolas públicas e dos direitos da juventude, das mulheres e da classe trabalhadora. Nas ruas, nas greves, nos conflitos sociais conseguimos construir uma forte influência e que milhares de jovens se identifiquem com a nossa mensagem combativa e revolucionária, e com o programa antifascista, anticapitalista e internacionalista que defendemos.

Justamente por estes motivos, as nossas casas estão na mira de grupos fascistas há décadas. Eles aproveitam estas comemorações para atacar os militantes da esquerda combativa e as suas organizações mais representativas. Em todos os ataques que sofremos sempre respondemos com máxima dureza a esta escória, e não raramente vimos como o aparato estatal, a polícia e os seus juízes os protegem e lhes proporcionam total impunidade.

Este ano, mais uma vez, os fascistas voltaram a passear-se pela Feira ameaçando ou agredindo diretamente aqueles que consideram um alvo, face à indiferença da câmara municipal e à cumplicidade dos comandantes da polícia. Muitos destes fascistas também são contratados como porteiros nas casas de conhecidas discotecas. De facto, o assassino do jovem Pablo Podadera1 tem trabalhado como porteiro de um destes locais, como tem sido denunciado nas redes sociais. A impunidade de que gozam encoraja-os.

E como dissemos no início, no último dia da Feira sofremos uma provocação quando três fascistas, que já denunciamos em diferentes ocasiões, foram à nossa casa para nos assediar, ameaçar e agredir. Mas não atingiram os seus objetivos.

A atuação decisiva do nosso serviço de segurança, bem como de todos os jovens que estavam na nossa casa, garantiu que eles não pudessem provocar a confusão que tinham em mente, e que a polícia finalmente, tarde e com muita gentileza, claro, os tenha tirado da nossa casa enquanto centenas de pessoas gritavam “Não passarão!”.

Repelimos este ataque, mas queremos dizer em alto e bom som que estes energúmenos têm protetores e patrocinadores: a Câmara Municipal controlada pelo Partido Popular, a subdelegação do governo, a Polícia Nacional e todo o aparelho do Estado, que lhes concede total proteção para agirem.

Desde o Sindicato de Estudiantes, Libres y Combativas e Izquierda Revolucionaria não hesitaremos em continuar a defender-nos destes ataques como sempre fez a classe trabalhadora, com organização, mobilização massiva e máxima contundência. O fascismo não se discute, combate-se.

Deixamos um vídeo que mostra a coragem e determinação dos camaradas contra os fascistas.

Fascistas fora das nossas festas!

Não passarão!


Notas:

1. Pablo Podadera, um jovem de 22 anos, foi cobardemente assassinado com violentos golpes na cabeça a 20 de abril de 2017 quando tentava apaziguar os ânimos de uma discussão à porta de uma discoteca de Málaga.
Uno de los condenados por el asesinato de Pablo Podadera trabaja como portero en la Feria de Málaga

JORNAL DA ESQUERDA REVOLUCIONÁRIA

Sindicato de Estudantes

Os cookies facilitam o fornecimento dos nossos serviços. Ao usares estes serviços, estás a permitir-nos usar cookies.